Círio 2020: Fé sem distâncias

 

Foto: Luiz Estumano
 
 
 
O segundo domingo de outubro, é o domingo mais aguardado pelos devotos de Nossa Senhora de Nazaré, dia da grande procissão que toma conta das ruas da Capital Paraense. Este ano, as ruas de Belém estarão vazias, porém, cheias de esperança e fé, representadas pelas casas de cada devoto. A 228° edição do Círio de Nazaré, com o tema “Ave Maria, cheia de graça”, é um convite para união de corações e orações das residências de Belém. A pandemia do coronavírus modificou a programação tradicional das diversas procissões, diante da situação que acomete o mundo, a Arquidiocese de Belém juntamente com a Diretoria da Festa de Nazaré, ajustaram todas as programações do Círio, para que possa ser vivido nos lares paraenses.
 
 
E neste início de outubro, às proximidades do Círio de Nazaré, o Arcebispo de Belém Dom Alberto Taveira Corrêa, pede para vivermos e participarmos, “De tudo aquilo que, presencialmente, esteja aberto para nós. Quem estiver em casa pode acompanhar através das redes sociais, pois, transmitiremos tudo do Círio de Nazaré.” Dom Alberto, acrescenta, “peço, sobretudo, a união de corações. Para edificar este grande Rosário de corações e orações com a nossa participação e nosso testemunho no Círio de Nazaré.” 
 
O Círio é o momento para entender o mistério do “sim” de Maria, um dos eventos fundamentais para a Igreja e convida multidões à comunhão com Jesus. A  festa da Rainha da Amazônia, proporciona viver este “sim”, celebrada, em Belém, desde o dia 8 de setembro de 1793, que no ano de 1901 transferiu-se para o segundo domingo de outubro e permanece até hoje. 
 
 
História do achado – No ano de 1700 o caboclo Plácido encontrou às margens do igarapé Murutucú (atual Basílica de Nazaré), uma pequena imagem de Nazaré. Plácido levou a imagem para a sua casa, e no outro dia, quando foi verificar, já não estava mais lá. O caboclo correu ao local onde foi encontrada, e lá estava a imagem. Situação que ocorreu por diversas vezes. Por essas ocasiões, Plácido construiu uma capela para Nossa Senhora. A visita de devotos à capela tornou-se constante. 
 
No ano de 1792, o Vaticano autorizou a realização da procissão em homenagem à Virgem de Nazaré. Sendo o primeiro Círio, (círio que significa vela grande de cera), no dia 8 de setembro de 1793.No decorrer da história do Círio diversas adaptações foram realizadas, nas primeiras procissões a Imagem de Nossa Senhora era levada no colo do Bispo da cidade, posteriormente, passou a ser levada na berlinda e conduzida por bois. 
 
 
Objetos de promessas – Outro símbolo de fé tradicional no Círio são os objetos de promessas. O objeto de promessa é uma forma de agradecer a graça recebida pela intercessão de Nossa Senhora. Entre os principais, estão objetos de cera, que representam parte do corpo, miniatura de casas ou barcos e entre outros. Os ex-votos são depositados nos carros de milagres, estes, incorporados no Círio ao longo da história. Para esse ano, excepcionalmente, os carros de promessas ficarão em exposição  de 01 a 09 de outubro, na Praça Santuário, para receber os objetos de promessa e ex-votos.
 
 
Corda do Círio – A origem da corda se deu em 1885, na procissão, a baía do Guajará havia transbordado, e a berlinda, na época, puxada por bois, não conseguiu avançar por causa do atoleiro. Então, os fiéis tiveram a ideia de puxar a berlinda com uma corda. A partir deste ano seguiu-se a tradição de conduzir a berlinda com a corda, símbolo de fé, onde, todos os anos, devotos pagam promessas por graça alcançada. Somente este ano que a corda de 800 metros ficará em exposição na Estação das Docas, tendo outra parte da corda uma programação específica nas 95 paróquias da Arquidiocese de Belém
 
 
Alterações de eventos 
 
Além do cancelamento das 13 romarias, não haverá a presença do público nas celebrações de sexta-feira, sábado e domingo do Círio. Entre os eventos cancelados para evitar qualquer tipo de aglomeração estão os serviços de acolhimento na Casa de Plácido, bem como, as grandes procissões do translado da Imagem Peregrina para Ananindeua, que se segue: Procissão Rodoviária, missa no trapiche de Icoaraci, Romaria Fluvial, chegada à Escadinha do Cais do Porto, Moto Romaria, descida da Imagem, missa no Colégio Gentil Bittencourt, Trasladação, Procissão do Círio, Círio Musical e outros.
 
 
Transmissão das celebrações e eventos
 
A partir do 09 de outubro a emissora oficial do Círio,  Fundação Nazaré de Comunicação com os meios: TV Nazaré (30.1); Rádio Nazaré (91,3), Jornal Voz de Nazaré, Portal Nazaré e Facebook/fncbelem vão aproximar o devoto de Nossa Senhora de Nazaré em mais um Círio, dessa vez em casa. A programação de celebrações, exibição de documentários com os melhores momentos do Círio, entrevistas, testemunhos de fé e conversão serão transmitidas durante toda a quizena do Círio.
 
 
Celebrantes da Quinzena do Círio
 
Este ano o convite para presidência das celebrações se limitou a sete celebrantes, devido a situação de saúde atual. Entre os convidados estão Dom Irineu Roman, Arcebispo de Santarém – PA; Dom Bernardo Johannes Bahlman, Bispo da Diocese de Óbidos – PA; Dom Bernardino Marchió, Bispo Emérito da Diocese de Caruaru – PE; Dom Francisco Biasin, Bispo Emérito da Diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda – RJ; Dom Anuar Battisti, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Maringá – PR; Dom Geraldo Vieira Gusmão, Bispo Emérito de Porto Nacional – TO e; Dom Evaldo Carvalho dos Santos, CM, Bispo de Viana – MA.
 
 
 
 

 
 

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Leia também