Descida da Imagem Original do Glória é marcada por muita emoção e por fato histórico.

Foto: Sandro Barbosa

 

A descida da imagem original de Nossa Senhora de Nazaré do Glória, ocorreu no final da manhã deste sábado (09), com a programação iniciando com a santa missa às 7h, seguida pela meditação do terço com a comunidade Zaccariana, às 9h e a pregação com Bispo Auxiliar de Belém, Dom Antônio de Assis Ribeiro, às 10h30; por volta das 12h iniciou o ritual de retirada da Imagem do Altar-mor pelo diretor Thiago Menezes.

Com a simbologia de aproximar a Mãe de Nazaré dos seus filhos, a Imagem Original desceu do Glória conduzida pelos diretores da Festa e foi em procissão pelo corredor central da Basílica até a saída do Santuário, surpreendendo o público que estava fora, para que também pudessem prestar suas homenagens. Ela só deixou o presbitério da Basílica em momentos raros, como em 1992, na procissão do Círio 200 e durante a visita do Santo Papa João Paulo II à Belém, no dia 9 de julho de 1980, quando o Pontífice abençoou a Imagem, da janela do Arcebispado.

O momento marcado por essa aproximação da Mãe com os seus filhos emocionou a todos os presentes. Monaliza Pereira, de 43 anos, que participou pela primeira vez da cerimônia da descida, muito emotiva falou um pouco da sensação que estava sentindo.

É motivo de muita gratidão e esperança, de tantas graças alcançadas e pelas que ainda vou alcançar, pois, tenho certeza da graça, do amor, da virtude e da bonança que tem a virgem Maria, minha mãe e peço-lhe que me capacite como mãe, pra eu cuidar dos meus filhos”, partilhou Monaliza, que reside em São Bernado do Campo – São Paulo.

Dom Antônio, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém, em sua mensagem de encerramento da cerimônia disse a importância da aproximação dos fiéis à Mãe de Nazaré.

“Não afastemos Maria do povo, não afastemos a graça do povo, pois, Maria, é mulher do povo!”, afirmou, Dom Antônio.

Foto: Sandro Barbosa

 

A cerimônia considerada rara, acontece apenas duas vezes ao ano, uma delas, no período do Círio e a outra durante o aniversário de elevação da Basílica a Santuário, no mês de maio. Anteriormente, a Imagem só ficava perto dos romeiros durante a quadra nazarena. Este ano, com um público reduzido, seguindo todos os protocolos de distanciamento social que norteiam a edição do Círio 2021, porém, os devotos puderam também acompanhar, através dos meios de Comunicação da Fundação Nazaré.

Foto: Sandro Barbosa

História

Em 1969, o Vigário de Nazaré, Padre Miguel Giambelli, decidiu descer a Imagem do Glória para ficar no Presbitério, mais próxima do povo, substituindo a Imagem do Colégio Gentil Bittencourt. As primeiras descidas ocorriam às 23h, após a chegada do Pároco na Basílica, depois da Trasladação. Antes, a Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré descia do Glória discretamente, com a Igreja fechada. Mas, desde 1992, a Basílica Santuário abre as portas para os fiéis acompanharem este momento especial, é o instante que eles podem ficar mais perto da Imagem encontrada por Plácido.

A Imagem encontrada por Plácido fica no Glória, sobre o altar-mor da Basílica de Nazaré, em redoma de cristal antiprojétil. Ela reproduz uma senhora portuguesa e, nas nuvens onde repousa, vemos um rostinho de anjo. E no braço esquerdo traz um menino aparentando dois anos, que carrega um globo.

 

Foto: Sandro Barbosa.

 

 

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Leia também