Projeto incentiva a agricultura familiar na área do Perpétuo Socorro

A Arquidiocese de Belém, à luz da solidariedade expressa nos mais variados gestos de atenção e proteção aos mais necessitados impactados pela pandemia da COVID -19, vêm ao longo dos últimos meses intensificando suas ações socioassistenciais, auxiliando famílias com doações de gêneros alimentícios, materiais de higiene pessoal e de limpeza, acrescido de ações que visam oportunizar a estas acesso à uma alimentação saudável e possibilidade de geração de renda de forma complementar aos que trabalham o mercado informal.

O texto acima é do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, buscando apoio junto à REPAM – Rede Eclesial Pan-Amazônica, visando potencializar tais ações da Ação “Cultivando Saberes”: Implantação de Horta Comunitária, iniciativa da Caritas Belém, buscando auxiliar famílias que residem na Área Missionária Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no município de Marituba, envolvendo os bairros Canaã e Riacho Doce, favorecendo a segurança alimentar e nutricional de famílias das 8 comunidades que compõe a área missionária, bem como propiciar geração de renda aos participantes da ação.

A atividade vem sendo desenvolvida na área missionária com a participarão de famílias pertencentes às comunidades da referida área missionária, a saber: Comunidade São Francisco, local no qual a horta comunitária está implantada; Comunidade Mãe Rainha; Comunidade Nossa Senhora das Graças; Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Comunidade São Vicente; Comunidade Santo Antônio; Comunidade São Judas Tadeu e a Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora.

Participam também da atividade Cultivando Saberes, jovens e adultos, de ambos os sexos, moradores dos bairros de Canaã e Riacho Doce. A ação visa envolver 10 famílias de cada uma das 8 comunidades da área missionária, que trabalham no mercado informal, observando a condição de vulnerabilidade destas que, impactadas pela pandemia da COVID-19 tem a sua situação ainda mais agravada. Diretamente serão beneficiadas 80 famílias, aproximadamente 350 pessoas.
A atividade utiliza a área disponível da Comunidade São Francisco para que ela se transforme em polo aglutinador de iniciativas no campo da agricultura familiar e da educação ambiental, orientando e fortalecendo o trabalho comunitário, contribuindo para a transformação da sociedade local, na área de influência da atividade, que deverá funcionar como irradiador dessa experiência local de desenvolvimento sustentável, com metodologias participativas.

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Leia também