1 – O cursilhista é pessoa de fé.
O cursilhista transmite Deus, ajuda conhecer Jesus, apaixona-se por ele e segue os seus ensinamentos.
Ninguém dá o que não tem. A lâmpada só ilumina se estiver cheia de luz. O fogão só cozinha se está com a chama ardendo.
Assim o cursilhista só revela Jesus e seus valores se estiver cheio de fé e de espiritualidade. Por isso, o cursilhista precisa cultivar a oração em casa, na Igreja e no trabalho.

2 – O cursilhista é testemunha de fé.
As palavras movem, mas só os exemplos arrastam.
Falar sem viver vale pouco ou nada. O cursilhista é luz do mundo e fermento na massa pelas suas palavras e pelo seu exemplo de vida prática no dia a dia.
Quanto mais rica e profunda for a sua vida cristã, tanto mais ele move o coração dos pagãos e dos batizados afastados.

3 – O cursilhista é pessoa engajada na Igreja.
O cursilhista sente a sua responsabilidade e age para a Igreja.
Ele é inserido na comunidade, participa e anima os irmãos.

4 – O cursilhista é pessoa aberta aos problemas.
Como Jesus, ele percebe as alegrias, angústias e sofrimentos do povo e faz a sua parte. Como Jesus, o cursilhista sai na rua, na cidade e nos ambientes evangelizar, que é a sua principal missão.
O cursilhista trabalha e luta para construir uma sociedade justa, fraterna e solidária, sem violência, sem roubos e sem morte.

5 – O cursilhista participa das celebrações.
Participar das celebrações da Igreja é vital para todo cristão, e mais ainda para o cursilhista. É na celebração que se expressa a fé, se reforça a vivência e se torna testemunho. Ninguém é bom cristão se não participar das celebrações dominicais da Igreja.

6 – O cursilhista sabe amar.
Amar é buscar o bem das pessoas mais necessitadas como os pecadores e os afastados de Deus. Não é fácil amar, mas é preciso.
O mundo fala de amor, mas não ama porque é conduzido pelo egoísmo e orgulho, pela ganância e desonestidade.

Colunistas