Muita gente confunde amar com sentimentos e emoções.

Mas amar não é isto. Pode haver também sentimento e emoção, mas amar é muito mais do que isto. Amar é promover o bem da pessoa, é dar-lhe valor, carinho e estima. Amar é ver suas qualidades, é compreender, é desculpar, é perdoar as suas falhas…

A mãe que ama o filhinho faz tudo o que pode por ele. Ela o nutre, veste, cuida, dá atenção, compreende e busca o seu bem.

O marido que ama a esposa é atencioso, carinhoso, paciente, lhe dá valor e honra. Quanto mais ele a ama, tanto mais busca a sua felicidade mesmo com sacrifícios e privações. Quem ama descobre os desejos da pessoa amada e faz o que pode para satisfazê-la.

O mesmo acontece em relação a Deus. Quem ama a Deus faz tudo para agradá-lo, mesmo se custar sacrifícios e renúncias.
Jesus disse: “Quem me ama, observa os meus mandamentos”.
Deus não nos dá mandamentos por egoísmo, por vaidade ou interesses dele, mas só para o nosso bem e a nossa felicidade.

É por isso que Deus é amor, todo amor e só amor.

Quem ama o próximo alegra a Deus. Mas Deus se desgosta quando vê um seu filho sendo desprezado, enganado ou maltratado.

Se Deus nos manda frequentar a Igreja, não o faz porque ele precisa, mas porque na Igreja nós aprendemos o bem, o respeito, a paz, a tolerância e nos tornamos melhores.

Só ama a Deus quem o escuta e segue os seus caminhos.
Jesus disse: “Não é aquele que diz Senhor, Senhor, que entrará no Reino do céu, mas aquele que faz a vontade do Pai”.

A pessoa que ama, quando ouve a Palavra de Deus diz: ‘Senhor, dá-me forças e sabedoria para eu agir como tu queres’.

Se isto vale para todos os cristãos, vale mais ainda para quem teve a graça de fazer o Cursilho, pois ele foi mais iluminado.

Leia nossos Colunistas