Quem quer ser médico-cirurgião, precisa cursar a faculdade e fazer residência em cirurgia.

Assim acontece no Cursilho: os candidatos vêm dos ambientes que mais precisam, fazem o cursilho, participam de Grupos e de Ultréyas, e depois vão trabalhar na lavoura do Senhor.

No tempo da sua vida terrena, Jesus instruía seus apóstolos e discípulos e os mandava à sua frente aonde ele iria depois.

Os discípulos iam. Uma vez os 72 discípulos foram pregar e voltaram encantados porque até os demônios lhes obedeciam.

Jesus lhes disse: ‘Eu vi Satanás cair do céu’ pelo vosso trabalho, mas não se alegrem porque os demônios vos obedecem, e sim porque os vossos nomes escritos no Céu’.

Também hoje muitos são chamados ir à frente de Jesus.

Para atingir essa finalidade o cursilho tem três etapas:

Pré-cursilho: O fiel é convidado por outro cursilhista. Quem responde sim, receberá algumas informações sobre o cursilho.

Cursilho: A pessoa responde sim ou não a Deus, pois cada um é livre. A nossa vida depende das nossas escolhas. O prêmio ou a reprovação depende das nossas escolhas.

A Bíblia diz: ‘Deus põe à tua frente a água e o fogo, a vida e a morte, o bem e o mal. Escolhe o que quiseres e isto te será dado’.

Quem aceita o convite irá a um lugar retirado por 2 ou 3 dias e fará o cursilho. Lá ouvirá a voz do Espírito Santo.

Pós-cursilho: Após o cursilho, o novo cursilhista se insere num Grupo (Núcleo) para agir e dar continuidade à sua formação.

Sempre que possível ele frequentará a Escola Vivencial do Cursilho, os encontros dos Grupos e as Ultréyas.

O cursilhista nunca estará sozinho. Ele ganha muitos irmãos, irmãs e amigos que o amam e têm os mesmos ideais dele.

Claro que nenhum cursilhista se transforma num anjo. Ele continuará homem ou mulher, mas mais consciente e coerente, e mais interessado nas coisas de Deus e na salvação do próximo.

Para conhecer mais o Cursilho lê a coluna ‘O Cursilho’ publicada a cada 15 dias no Jornal Voz de Nazaré.

 

Colunistas