Controle e saúde mental

Você pode controlar a forma como as pessoas reagem a uma pandemia? Pode controlar se vão usar máscaras de proteção? Não! Mas pode controlar os seus cuidados e estratégias para se proteger do vírus… A sensação de descontrole pode ser aflitiva, angustiante, mas é assim, não podemos controlar todos os detalhes da nossa vida e, mais, não podemos controlar a vida dos outros. O que podemos fazer é aprender a reagir às situações da melhor maneira possível. Como vamos responder, nos comportar diante das situações, sim, é onde podemos gerenciar.

Muitas pessoas têm a conhecida “mania de controle” e quando não conseguem dosar esse comportamento, podem gerar animosidade. Afinal, ninguém gosta de ter alguém lhe dizendo o que fazer o tempo inteiro. No entanto, os “controladores” também sofrem, pois, como não conseguem controlar tudo, se frustram com mais frequência e tem a ansiedade elevada.
Algumas características de pessoas controladoras são: necessidade de saber tudo sobre a vida dos outros; dificuldade para aceitar pensamentos e comportamentos diferentes; se preocupar demasiadamente com as escolhas dos outros e dificuldade para se adaptar a situações novas.

A necessidade de controlar está muitas vezes ligada à necessidade de acalmar a ansiedade, pois, pessoas controladoras têm dificuldade para sossegar diante de uma situação complicada porque entendem que precisam estar a par de tudo, se sentindo mais seguras com a ilusão do controle. Por vezes, até ultrapassam os limites alheios por causa da ansiedade e não conseguem perceber que os outros indivíduos podem e devem aprender a lidar com os seus problemas sozinhos. Vale também observar que, embora possa não parecer, alguns “controladores” têm problemas com a autoestima, precisando sentir que estão no controle porque normalmente não conseguem se sentir bem consigo mesmas. A ilusão de que podem mandar nas situações e nas pessoas ao seu redor, até certo ponto faz com que elas se sintam importantes e competentes.

Algumas dicas para aprender a gerenciar a necessidade de controle:
1) Trabalhe a autoconfiança;
2) Busque ajuda profissional;
3) Aceite o presente como ele é para depois trabalhar as atitudes de mudança. Lembre-se sempre: Coisas fora do meu controle (consequências dos atos alheios; o que os outros dizem; atitudes das outras pessoas; as crenças das outras pessoas); Coisas sob meu controle (como eu reajo ao que falam de mim; as minhas crenças e ideias; os meus esforços e atitudes; a minha maneira de encarar a vida e os desafios). Menos controle, mais saúde mental! Até a próxima!

Leia nossos Colunistas