Muito simpática esta imagem, não é? Expressa uma verdade: é preciso cultivar a planta (a flor) para que cresça e floresça. Assim como as plantas também acontece com as virtudes (as realidades espirituais de nossa vida): se não as cultivarmos, elas não crescem em nós. E assim como acontece que num terreno baldio no qual não se planta nada, de imediato o mato, capim, ervas daninhas tomam conta do terreno. Igualmente em nós, humanos: se não cultivarmos o bem (as virtudes), o mal (os vícios) tomam conta e nos embrutecem, isto é, nos rebaixam e impedem exercer a nossa alta dignidade de vivermos como pessoas, isto é, capazes de entrar em comunhão com as pessoas humanas e também com as pessoas divinas. Na medida em que mantemos um constante relacionamento com as pessoas divinas – pela oração e elevação da mente a Deus – conseguimos viver entre nós relacionamentos de verdadeiro amor e fraternidade. 

Leia nossos Colunistas