Homilia Dominical – Jo 15,9-17

6° Domingo da Páscoa - Evangelho - Jo 15,9-17 . ANO B I LIBRAS - YouTube

A) Texto: Jo 15,9-17
Disse Jesus: 9“Como Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena. 12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. 14Vós sois meus amigos se fizerdes o que eu vos mando. 15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17Isto é o que vos ordeno: amai- vos uns aos outros”.

B) Comentário
Só se conhece a Deus amando, pois “Deus é amor” (1Jo 4,8.16). Jesus diz: “Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros” (v 17). O amor na relação humana é ordem divina, e está presente na bíblia desde o Antigo Testamento no livro do Levítico: “Ama- rás teu próximo como a ti mesmo” (Lv 19,18).

Quanto ao tema de “amar os outros com base no amor a si mesmo”, houve uma pesquisa que revelou a existência de pessoas que não se amam e que, portanto não se sentiriam estimuladas a amar o próximo, já que não têm amor nem por si mesma! Mas a ordem de amar continua vigorando e as pessoas não escapam do mando do mestre, quando ele diz: “amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (v 12). Logo, ninguém está dispensado do compromisso, pois o termômetro do amor neste caso ou o referencial é o próprio Jesus; amar exatamente “como” ele amou!

A referência de Jesus não é projeção de futuro, é algo passado, acontecido, realizado: “Como o Pai me amou, assim também eu vos amei” (v 9). E afirma: “Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos” (v 13).

É curioso observar que Jesus poderia ter dito: “Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amados”. A relação de amor maior não é com o amado e sim com o amigo.
Amor, na cultura grega é um termo que apresenta cinco sentidos. Aqui o sentido é preciso, quando usa o amigo, a amizade. Assim sendo, tudo o que disse Jesus se torna realidade, pois ele entregou a sua vida por nós, para que a tenhamos em plenitude; prova de amor maior!

Vamos nos imergir no mais profundo do pensamento de Jesus, quando ele destaca: “Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos” (v 15).
Qual seria agora o recado do mestre? Ele é ciente de sua posição, pois outrora dissera: “Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem, pois eu o sou” (Jo 13,13).

Jesus sabe e assume seu senhorio, porém não é tanto isto que conta no relacionamento que ele deseja conosco, e o nosso entre nós. O aprendizado que provem dele a nós, deve ser no nível de amizade; um ensinamento que se origina não tanto do mestre e senhor, mas do amigo; desta qualidade de amor, tudo terá uma melhor consistência e sabor.

Leia nossos Colunistas