Homilia Dominical – Lc12,49-53

A) Texto: Lc12,49-53

Disse Jesus a seus discípulos: 49“Eu vim para lançar fogo sobre a terra e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batismo e como estou ansioso até que isso se cumpra! 51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; 53ficarão dividido o pai contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.

B) Comentário
Disse Jesus: ‘Eu vim para lançar fogo sobre à terra e como gostaria que já estivesse aceso!’. Ora, o “fogo”, é símbolo de Deus. E é um fogo, que não destrói, como o do Sinai, diante de Moisés: “O Anjo de Deus lhe apareceu numa chama de fogo, no meio de uma sarça. Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. Então disse Moisés: “Darei uma volta, e verei este fenômeno estranho, porque a sarça não se queima. Viu Iahweh que ele deu uma volta para ver. E Deus o chamou do meio da sarça. Disse: “Moisés, Moisés.” Este respondeu: “Eis-me aqui”. Ele disse: “Não te aproximes daqui; tira as sandálias dos pés porque o lugar em que estás é uma terra santa”. Disse mais: “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Então Moisés cobriu o rosto, porque temia olhar para Deus (Ex 3,2-6).

Portanto, Jesus veio trazer o Deus da Aliança; dos patriarcas. A sarça ardia no fogo. E os discípulos de Emaús, como eco da Ressurreição do Senhor, diziam: “Não ardia o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, quando nos explicava as Escrituras?” (Lc 24,32). E o mestre destaca: ‘Eu vim para lançar fogo sobre à terra e como gostaria que já estivesse aceso!’. Ou seja, que à terra estivesse incendiada de Deus (Pentecostes)!
Em Pentecostes, o “fogo” pousa sobre a cabeça dos apóstolos: “E apareceram umas como línguas de fogo, que se distribuíram e foram pousar sobre cada um deles (At 2,3). A energia divina, é coletiva e individual, ao mesmo tempo: “sobre cada um deles”.

Pode se dizer, que os principais órgãos do ser humano, na missão evangelizadora são: a cabeça e o coração. Quanto à cabeça, é o pleno conhecimento de Jesus nas sagradas escrituras; e sobre o coração, é o amor ao mestre, expresso em nosso apostolado, que o desejo dele, se realizará, na energia do Espírito Santo: ‘Eu vim para lançar fogo sobre à terra e como gostaria que já estivesse aceso!’. O desejo de Jesus se cumpre, na ação de sua Igreja: antes, agora e sempre!
Jesus é nossa paz, nossa brisa, que vem precedida de tempestades até familiares (vv 51-23), como ocorreu com “Deus e o profeta Elias” no monte Horeb (1Rs 19,9ss). E a vitória está do nosso lado, pois o mestre está conosco, e nós com ele. Passaremos por apuros, mas a vitória é garantida! O importante é que sejamos corajosos, coerentes e perseverantes.

Leia nossos Colunistas