Jesus é Bom Pastor que ama suas ovelhas – parte 3

 

Alguns cristãos mesmo praticantes, apesar dos seus esforços, sonhos, preces e ideais, viram o seu casamento fracassar e se separaram.
Psicólogos dizem que a separação de um casal causa sofrimentos semelhantes aos de um enfarte cardíaco ou de um AVC.
Além disto, alguns membros da Igreja discriminam as pessoas separadas, acrescentando-lhes ainda mais sofrimentos.
Jesus nunca discriminou ninguém por isso. A Igreja, em seus documentos, trata com grande amor e desvelo as pessoas separadas.
Em Jo 10, 11ss Jesus disse que ele é o Bom Pastor que cuida das suas ovelhas e lhes dá a vida. Ele busca com carinho tais pessoas e chega a carregar algumas nos ombros. Ele dá especial atenção às ovelhas feridas, doentes ou desviadas.

Jesus é o nosso mestre e modelo. Todo o cristão deve seguir Jesus e imitar os seus exemplos em tudo, também no trato com separados.
Quem fez o que pôde para viver bem o matrimônio e não conseguiu, saiba que Cristo é o Bom Pastor, e que a Igreja é mãe amorosa que ama seus filhos e faz o que pode por eles.
A Igreja faz tudo para os casais não se separarem e viverem na paz e na harmonia para o bem deles, dos filhos e da sociedade, mas nunca proibiu a separação quando não há outro remédio.

E então, porque a Igreja nega a comunhão aos divorciados?
É para o seu bem. A Comunhão exige certas condições para ser a fonte de vida espiritual em Cristo.
O Apostolo Paulo diz: “Quem come ou bebe indignamente o corpo de Cristo, come e bebe a sua própria condenação – 1 Cor, 11,27.
Deus e a mãe Igreja não querem a condenação de ninguém.

Os Tribunais da Igreja estão ali como hospitais e UTIs para curar as vítimas da falência de casamentos. Os servidores da Justiça Eclesiástica são profissionais da saúde espiritual desses filhos de Deus.

Leia nossos Colunistas