Nesta manhã, como de costume, eu estava indo para o trabalho num ônibus lotado. Parei de pé no corredor ao lado de um jovem absorto na leitura da Bíblia. A Bíblia era surrada e o jovem a lia com sofreguidão. Fiquei ao lado dele, pensando que a Bíblia é a Palavra que nos mostra os caminhos de Deus para sermos mais humanos, mais cristãos e mais felizes neste mundo e também no outro. O moço absorto na leitura devia ser boa pessoa e disposto a fazer crescer o Reino de Deus.

Ao longo de todo o trajeto da viagem eu fiquei de pé, no corredor, ao lado dele, pensando como o povo seria muito mais feliz se andasse o caminho traçado por Deus na Bíblia. Aquele jovem devia ser crente, pois os católicos não levam consigo a Bíblia e poucos a leem em casa. Já próximo ao meu destino, o jovem levantou-se para descer. Aproveitei a oportunidade, delicadamente e em voz baixa lhe disse: “Moço, vou te dar um conselho”. Ele me olhou e eu disse: “Ler a Bíblia é muito importante porque nela está a sabedoria”.

O jovem esboçou um sorriso de satisfação. Eu continuei: “Mas, se houver um idoso de pé a teu lado, é mais importante levantar e ceder o assento para ele”. Sem perder a paz, aquele jovem parou um instante, ficou pensativo e desceu pela porta traseira do ônibus. Nesta manhã eu joguei mais uma semente de justiça. É provável que germine, cresça e produza frutos, pois o coração daquele moço parecia ser como a terra boa, fértil e cultivável.

Jesus disse: “Vós sois a luz do mundo. Vós sois o fermento na massa”. Com carinho, delicadeza e amor, tu também podes e até deves ser um semeador da paz, da justiça e do amor. Justiça nada mais é que respeitar o próximo. As leis civis são feitas para o bem comum. Cumprir as leis, inclusive a lei da preferência no ônibus, é ato de justiça, de caridade e de respeito.

O mundo ficará melhor ou pior, dependendo daquilo que tu fizeres e do que deixares de fazer para o bem do próximo. Amigo, sê luz do mundo e fermento na massa. Sê semeador do bem e deixarás belo rastro da tua passagem por este mundo.

Colunistas