No Êxodo 20, 14 Deus escreveu isto com o seu próprio dedo: “Não cometerás adultério”.
Adultério é a relação sexual de duas pessoas fora do casamento, das quais ambas são casadas ou uma é casada e outra é solteira.
O adultério é um pecado gravíssimo, pois fere ou mata a família.
Não é qualquer pessoa que tenha tanta virtude e tanto heroísmo de aguentar o adultério do seu cônjuge.
O adultério fere de morte ou mata a família, com consequências desastrosas para as vítimas que são o cônjuge e os filhos inocentes.
Se dois solteiros praticarem sexo cometem fornicação e não adultério. O pecado de fornicação tem as consequências de Ex 22, 15.
Em vista da sua gravidade, a Bíblia ordenava que o homem ou a mulher flagrados em adultério fossem mortos a pedradas.
Hoje, alguns acham que o adultério não é tão grave, mas é, pois ele fere de morte ou mata a família.
Por isso o Apóstolo Paulo diz que nenhum adúltero entrará no céu.
Todo o cristão deve aprender desde jovem ser dono de si e não ser escravo de nada, nem das suas paixões e dos seus instintos carnais.
Jesus não admite o adultério nem por desejo. Ele diz: “Todo aquele que desejar possuir uma mulher já cometeu adultério com ela no seu coração” – Mt 5, 27-30. O mesmo vale também para a mulher.
Vergonhosamente há gente de TV e até professores que incentiva crianças, adolescentes e jovens a praticarem sexo só pelo prazer e sem a responsabilidade inerente.
O prazer sexual é divino dentro dos seus fins. Deus o colocou para a reprodução e para a união amorosa de marido e mulher.
O sexo buscado só por prazer faz crescer os abusos e as aberrações sexuais, os estupros e abortos, os divórcios, a pedofilia e a pornografia com consequências desastrosas e muito amargas.
Paulo Apóstolo em Gl 5, 19-21 diz que quem se entrega às obras da carne não herdará o Reino do céu.
Todo o cristão deve lutar contra a depravação moral e sexual, pois ela é vertente de graves desordens e de muita infelicidade.

Colunistas