É misterioso e sublime que a segunda Pessoa da Santíssima Trindade se tenha encarnado, o que insere a nossa natureza humana de modo indissolúvel no coração de Deus, por toda a eternidade.

É misterioso e vai além de nossa razão. Deus, em sua segunda Pessoa, não será jamais separado da natureza humana em Jesus!

Se a Santíssima Trindade abriu os seus portais permitindo ao Verbo fazer-se homem por nós, somos loucos se não acreditarmos que Deus ama cada um de nós…

Não nos basta que o Natal seja apenas uma festa cheia de ternura. Desejamos que se torne uma realidade, uma realidade divina. E sabemos que, se estamos unidos em nome de Jesus, Ele está em nosso meio. Então, “eis-nos aqui, Senhor!”, cheios de boa vontade para dar-te acolhida, para ter a tua presença entre nós, para sermos não nós, mas tu mesmo. Para ajudar-te a construir na terra a cidade nova, a cidade de Deus.

Feliz Natal!

(Texto de Chiara Lubich, no livro “E volta o Natal…”, Editora Cidade Nova, SP, 1997)

Leia nossos Colunistas