Proclamar bem a Palavra de Deus

 

Muitos cursilhistas atuam nas mais variadas pastorais da Igreja em suas comunidades. Uns são catequistas, outros agentes da misericórdia, outros no dízimo, outros na liturgia…
Nem todos os cursilhistas têm a devida capacitação para proclamar bem a Palavra de Deus. Muitos fiéis se queixam da incompetência dos leitores que proclamam mal a Palavra de Deus.

A boa vontade é importante, mas não basta. A capacitação é necessária. É pavoroso saber que 50% dos católicos que vão à igreja em Belém saem insatisfeitos pelo mau uso do microfone, pela má proclamação da Palavra ou pelo canto mal executado.
Proclamar é quase declamar. Proclamar é ler a Palavra para o povo entender. Alguns leem, mas os fiéis não entendem. Por isso muitos fiéis deixam de frequentar a Igreja.

A incompetência na proclamação da Palavra e no uso do microfone é um espantalho que espanta fiéis da Igreja.
A má proclamação da Palavra se resolve fácil fazendo isto:
1- Manter o microfone uns 10 a 15 cm longe da boca.
2- Imaginar de ser o Apóstolo ou profeta que está falando.
3- Pronunciar bem todas as palavras e também as últimas.
4- Nada de correria na leitura, mas ler espaçado.
5- Proclamar a Palavra com entusiasmo, com fé e convicção.
6- Ler antes o trecho várias vezes, até sabê-lo quase de cor.
7- Quem tem voz de trovão, modere-se. Quem tem voz muito fraca, fale mais alto. Nunca exagerar em nada.

Se queres ser bom agente da liturgia estuda e pratica as orientações do livrinho “Iniciação Litúrgica” do Pe. Antonio Mattiuz.
Esse livrinho é vendido a R$ 3,00 na Cúria Arquidiocese de Belém e também na secretaria de várias Paróquias.

Leia nossos Colunistas