A cada vinte e cinco anos a Igreja celebra um Jubileu, ano forte de peregrinações e de pregação intensa da Palavra de Deus, a partir de um tema proposto pelo Papa. E o Papa Francisco, com grande lucidez, escolheu para o Jubileu de 2025 o tema “Peregrinos da esperança”, justamente porque os fatos acontecidos nos tempos que correm põem em risco justamente a Esperança, uma das Virtudes Teologais, essencial, por ser dada por Deus na graça de nosso Batismo, para responder aos presentes desafios.
Ao preparar-nos para o Grande Jubileu, foi-nos proposto o ano de dois mil e vinte e três, com o esforço para redescobrir o Concílio Vaticano II e suas consequências para nossa vida cristã. Nossa Igreja de Belém promoveu estudos sobre o Concílio e incentivou a leitura de seus Documentos. Para dois mil e vinte e quatro, o Papa promulgou um Ano dedicado à Oração, com um aprofundamento da oração do Pai Nosso. A convite do Papa, queremos dedicar o ano de dois mil e vinte e quatro a uma grande “sinfonia” de oração, em que os corações se abram para receber a abundância da graça, fazendo do “Pai Nosso”, a oração que Jesus nos ensinou, o programa de vida de todos os seus discípulos.

A Coordenação de Pastoral da Arquidiocese está elaborando propostas, a partir do Plano Arquidiocesano de Pastoral, dentre as quais desejamos antecipar iniciativas que podem ser assumidas pelas Regiões Episcopais, Paróquias, Pastorais, Comunidades, Comunidades Religiosas, Comunidades de Vida e Movimentos Apostólicos e de Espiritualidade. Desejamos que se organizem Retiros e encontros de espiritualidade em todos os níveis, a partir do da Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”, um texto que será referência para a formação neste ano. Todos os momentos de espiritualidade de Pastorais, Movimentos e serviços busquem seu conteúdo neste Documento do Papa. Solicitamos de forma especial ao Setor Juventude que ofereça tais experiências aos nossos jovens.

Durante o ano dedicado à Oração, as Paróquias organizem visitas de oração de porta em porta, assim como a Bênção das casas e das famílias, especialmente no Tempo Pascal. Pensamos num grande mutirão de presença nas casas! E unidos a isso, a organização de grupos permanentes de Evangelização nas famílias, no estilo dos grupos de peregrinação do Círio, valorizando a dinâmica do Ano Litúrgico. E os Movimentos que têm Grupos de Oração saibam redescobri-los e valorizá-los, dando-lhes um novo e corajoso impulso.

Nossas Paróquias se empenhem em valorizar os cristãos católicos que frequentam habitualmente cada uma delas. São preciosas sua participação na Liturgia e sua capacidade de envolver capilarmente os mais distantes, com um convite à participação na Santa Missa Dominical. Além disso, sendo a Eucaristia a oração por excelência, multipliquem-se as celebrações das Missas nos Setores ou outras formas de organização do território paroquial. São impressionantes os frutos das celebrações nas ruas, bem preparadas e participadas, nas Paróquias que já utilizam este método apostólico!

E aqui chegamos a uma das Pastorais que se desenvolvem com maior articulação em nossa Arquidiocese, a Pascom, Pastoral da Comunicação. Deus seja louvado especialmente pela juventude que se envolve na transmissão de celebrações litúrgicas e outras atividades, utilizando as plataformas digitais disponíveis. Para o Ano da Oração, podem pensar em programas especiais com tempos de oração, como o Rosário Meditado, a serviço das Paróquias e da Arquidiocese!

Ampliando nosso horizonte, os Meios de Comunicação da Arquidiocese, com a Fundação Nazaré de Comunicação, realizarão programas e eventos especiais, além daqueles já existentes, inclusive com colunas específicas em vista da preparação do Ano Jubilar.

Nossa Comissão Arquidiocesana de Formação, que está empenhada em oferecer um programa de Formação de Lideranças para as Comunidades, receba agora mais um tarefa, entrando em contato com grupos muito experimentados neste campo, como as Oficinas de Oração e Vida, para disponibilizar uma verdadeira Escola de Oração, nas dimensões bíblica, litúrgica e catequética, a serviço do Povo de Deus, em atividades presenciais ou pelos meios de comunicação e Redes Sociais.

Nossa Faculdade Católica de Belém pode oferecer estudos específicos, a modo de Seminários ou Simpósios sobre a vida de oração na Igreja, assim como oferecer celebrações litúrgicas abertas ao Povo de Deus nos tempos fortes da Liturgia, com a competência que lhe é própria.
Por graça de Deus, começa a se instalar em nossa Arquidiocese o Mosteiro de São Bento de Belém, com doze monges beneditinos, cujo louvor perene se abre nesta semana, em sua sede provisória, na parte antiga do Colégio Santo Antônio, com a oportunidade. No dia 31 de dezembro, às 8 horas, haverá também uma Missa Solene presidida pelo Arcebispo. Trata-se de um Centro de oração contemplativa que enriquece a vida espiritual de nossa Arquidiocese!

Para a formação pessoal sobre a oração, propomos que todos os fiéis conheçam textos preciosos do magistério, como a Catequese do Papa Bento XVI, “O homem em oração”, do dia quatro de maio de dois mil e onze, assim como a excelente série de dezesseis catequeses do Papa Francisco sobre a Oração, de cinco de dezembro de dois mil e vinte e dois até vinte e dois de setembro de dois mil e vinte e dois, disponíveis em português no site do Vaticano.

Oportunamente o tema da oração retornará em nossos meios de Comunicação, para que ponhamos em prática a recomendação de São Paulo: “Orai continuamente. Dai graças, em toda e qualquer situação, porque esta é a vontade de Deus, no Cristo Jesus, a vosso respeito” (1 Ts 6,17-18)

Leia nossos Colunistas